A História das Irmãs Missionárias Franciscana de Santo Antônio em áudio na Web Santo Antônio – Web Santo Antônio

A História das Irmãs Missionárias Franciscana de Santo Antônio em áudio na Web Santo Antônio

 A História das Irmãs Missionárias Franciscana de Santo Antônio em áudio na Web Santo Antônio
Compartilhar

        A Web Rádio Santo Antônio exibiu na última segunda feira (10) um podcast para celebrar os 60 Anos da missão: SONHADA, DOADA e SEMEADA em nosso chão das Irmãs Missionárias Franciscanas de Santo Antônio. A produção contou com a participação de irmãs que fazem parte da congregação hoje, do bispo de Palmeira dos Índios o Dom Manoel de Oliveira e de leigas que testemunharam e testemunham os trabalhos de evangelização realizado pelas religiosas franciscanas.  

        “O desejo no coração era de contar a história de uma congregação que tem uma história tão bonita, e, que podemos ver que tem se deixado renovar-se pelo Espírito Santo que nos provoca através dos desafios do nosso tempo. Percebemos que de fato a semente está crescendo e floresce” assim afirma Frei Roberto Alves que junto de Juliana Caroline fez o trabalho de script e organização do podcast ao falar sobre a ideia de contar a história da congregação. O trabalho desta vez contou ainda com uma grande novidade e parceria de Ir Erica Reginny que faz parte da congregação e que contribui com os trabalhos da Web Rádio Santo Antônio, que, nessa atividade, colaborou com a coleta dos áudios para a edição.

        A emoção e a alegria de quem já conviveu com as irmãs, ficaram explicitas nos testemunhos das leigas Lourdes, Leda e Lucy que contaram sobre os trabalhos realizados desde as primeiras irmãs holandesas que chegaram em nossa terra até os nossos dias junto a educação, a saúde e a religiosidade, contribuindo com cada espaço de missão e fazendo com que o evangelho fosse anunciado.

        Dom Manoel de Oliveira, desejou as irmãs, nesta data, três palavras: o dom da PERSEVERANÇA, da FIDELIDADE e da ALEGRIA para, assim, continuarem sendo rosto de Deus para a Igreja e para o mundo. O mesmo lembrou ainda que as religiosas são a marca do amor e da Misericórdia de Deus na Diocese de Palmeira dos Índios. As religiosas estão presentes hoje em outras dioceses como Garanhus e João Pessoa.

        A história e experiências contadas pela Irmã Terezinha, Irmã Joana, Irmã Erica, Irmã Joselma, Ir Luana e Ir Gil não cabem em um áudio, mas mostram  a força e o desejo vivo do anúncio do Evangelho por esta congregação. Podemos ter um pedaço dessa história, rica em testemunhos, através de um cordel preparado por Frei Felipe Ferreira que finalizou a produção deste trabalho.

O podcast já pode ser acessado e acompanhado através das nossas plataformas Digitais ou abaixo:

Saiba mais

“Rezem minhas filhas, rezem. Pela oração tudo se alcança” (Padre Geraldo Guilherme Van Schijndel).

        A Congregação das Irmãs Missionárias Franciscanas de Santo Antônio foi fundada na em Boerdonk, Holanda, por um padre diocesano chamado Geraldo Guilherme Van Schijndel. Em 1906, lançou a primeira semente da clandestinidade. Acolheu na pequena casa paroquial de Boerdonk, Maria Van Dijk, que depois tornou-se a irmã Antônia. A ela, se juntaram várias outras jovens, que através do Mensageiro de Santo Antônio, começaram e conhecer o sonho do fundador.

        A perseverança e a fé de Padre Geraldo e daquelas confiantes moças que deixaram suas casas agora começava a colher os frutos. Era 17 de fevereiro de 1913. Em Roma, o cardeal de Rossum assinara a permissão. Finalmente, a Congregação das Irmãs Missionárias Franciscanas de Santo Antônio podia seguir com a autorização de Roma.

        Em 1917 chegaram os primeiros pedidos para que as irmãs partissem em missão. Em 10 de Maio de 1961, com grande júbilo, chegaram em Campina Grande três irmãs holandesas: Hermenegilda, Teresiana e Batista. Ficaram hospedadas em Campina Grande, e seis dias depois, foram à cidade de Esperança, conheceram alguns edifícios públicos e tiveram contato com o povo.  A chegada definitiva nesta cidade se deu em 29 de junho. Foi um dia de festa, alegria, receptividade, onde certamente nossas irmãs puderam sentir o calor da convivência com o povo brasileiro, mais precisamente, nordestino.

        As irmãs se dedicavam incansavelmente aos cuidados do povo, e seu testemunho ia cativando outras jovens a se colocarem a serviço do Reino de Deus em meio aos apelos dos mais necessitados. Surgiu, então, a necessidade de abrir a casa de formação no Brasil. Hoje as religiosas estão presentes em Cruz do Espírito Santo (PB), Garanhus (PE), Estrela de Alagoas (AL) e Palmeira dos Índios (AL).

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *