A Unidade Cristã em torno do Projeto de Jesus – Web Santo Antônio

A Unidade Cristã em torno do Projeto de Jesus

 A Unidade Cristã em torno do Projeto de Jesus
Compartilhar

“Que todos sejam um” (João 17, 21).

        Na última terça-feira, 18, o programa #PartiuAssis, que é uma parceria fraterna do Sistema Web Santo Antônio com a Juventude Franciscana e a Ordem Franciscana Secular, abordou como tema a Semana de Oração pela Unidade Cristã – SOUC 2021. A passagem bíblica que iluminou este momento está no evangelho de João que nos diz: “Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos” (João 15, 5-9). Este trecho também é o tema para a SOUC 2021. No Brasil, esta semana é anualmente articulada pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC). Para a edição de 2021, os subsídios foram preparados pela Comunidade Monástica de Grandchamp e o material foi adaptado para o nosso país pelo Conselho Amazônico de Igrejas Cristãs (CAIC).

        Para partilhar um pouco sobre esta temática trouxemos como convidado o Pastor Mardes Silva, que pertence a Igreja Betesda do Ceará. A Igreja Betesda vem numa trajetória ecumênica e caminha para afiliação ao CONIC. Após a abertura do programa e apresentação do nosso convidado, o Pastor Mardes iniciou nos contextualizando um pouco sobre a origem da SOUC: “A semana de oração pela unidade dos cristãos vem a começar a partir do Papa Leão XIII, na virada do século XIX para o século XX, quando surge a preocupação de que as igrejas cristãs pudessem estar trabalhando juntas, orando juntas pela unidade da Igreja […] no Concílio Vaticano II a ideia foi mais encorpada e em 1968 inicia oficialmente”. Acrescentou ainda que “ela tem duas datas, duas semanas no ano: no hemisfério norte a semana ocorre de doze a dezoito de janeiro e no hemisfério sul a data ficou para essa época do ano, que é entre a ascensão de Cristo e o dia de Pentecostes”.

        A partilha se seguiu em torno da importância e de que tipo de unidade nós buscamos entre os cristãos. O Pastor Mardes levantou algumas contradições de países que se dizem cristãos e que implementam medidas e projetos que são contra a vida e os direitos humanos. Também foram colocados os desafios diante dos fundamentalismos religiosos no Brasil, por parte de evangélicos e católicos. Ambos têm se unido em apoio ao projeto de morte do atual governo e assumido discursos de ódio e apologia à violência. Nosso convidado colocou o diálogo e a unidade com estes setores não apenas como um desafio, mas como uma utopia: “Eu acho que esse é um grande desafio […] eu acho que é impossível dialogar com esse grupo, não tem como dialogar com pessoas que apoiam uma política desastrosa e genocida como essa, é desastroso que cristãos estejam apoiando políticas de armamento da população, de remédio que não serve para absolutamente nada como tratamento precoce para a pandemia, de um governo que promove a perseguição e a violência”.

        Colocou ainda que “a semana de oração pela unidade dos cristãos é uma semana utópica, no sentido de que precisa ser colocada como um objetivo, um alvo de oração, de pedir a Deus para que possa tocar no coração de cristãos para darem conta, pois o cristianismo começou como sendo uma religião marginal, o próprio Jesus foi um judeu marginal”. Também foram colocados alguns pontos de esperança e diálogo, como a relação da Igreja Betesda com padres e religiosas da Igreja Católica, a participação no Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos (CEBI) no Ceará e o Movimento Fé e Política que também promove o ecumenismo.

        Finalizamos o programa com esta esperança e utopia de alcançar a unidade dos cristãos, mas a unidade em torno do projeto de Jesus: o Reino de Deus. Um reino de paz, fruto da justiça, onde o direito corre como fonte que não seca e onde a vida é vivida com dignidade e em abundância. Com esta mesma esperança, concluímos o programa com a oração oficial da SOUC 2021:

Amado e misericordioso Deus pai e mãe,
Tu nos chamas para vivermos a unidade e a reconciliação.
Por isso estamos reunidas (os) para celebrar, orar, e Te louvar.

Nesta semana de oração, queremos ser tocadas (os) por Teu Amor e ao permanecer Nele, nos reconciliamos conosco e com nossas irmãs e irmãos.

Em Cristo, Teu Amado Filho, desejamos produzir bons frutos para vivermos em comunhão, restabelecendo relações de amizade, partilha e solidariedade e, assim, nos reconhecermos como irmãs e irmãos neste mundo tão dividido.

Comentários